16 novembro 2005

O projecto secreto

No decorrer da II Guerra Mundial, os Estados Unidos criaram um projecto secreto chamado Manhattan Project. O objectivo do projecto foi criar a bomba atómica. O povo americano (e não só) não fazia a mínima ideia da existência da bomba atómica até que foi lançada sobre Hiroshima.

Infelizmente, muitos projectos na igreja são feitos assim. Apenas a liderança sabe do projecto, e de repente a bomba é lançada, e só então é que as pessoas ficam a conhecer o projecto. Isso faz todo o sentido quando estamos a falar de projectos de segurança nacional, mas não faz o mínimo sentido quando se trata de projectos numa igreja, na qual não deve haver pessoas superiores a outras, e na qual todos devem estar envolvidos.

Os resultados deste tipo de informação escondida são catastróficos. O projecto tem poucas probabilidades de sucesso por várias razões. Primeiro, porque é impossível ter a certeza de que o projecto vai ao encontro da necessidade das pessoas, visto que elas não foram consultadas. Segundo, porque a quantidade de pessoas que gostariam de se envolver num projecto já delineado por alguém, é muito inferior ao número de pessoas que gostariam de fazer parte dele desde o momento de concepção (principalmente as pessoas mais capacitadas). E por fim, causa um mal estar geral de não se estar a par dos acontecimentos, e logo, de não se pertencer.

Resultado? Os líderes acabam por ter que fazer quase tudo sozinhos, e ainda por cima passam a ser vistos com alguma desconfiança, quebrando-se o relacionamento.

1 comentário:

Paula do Ó Barreto disse...

Pois...