07 dezembro 2005

As coisas pequeninas nunca dão em nada

Discordo completamente desta frase. Discordo porque não acho que seja verdade, tudo o que é grande já foi pequeno. Mas discordo ainda mais porque a frase supõe que o nosso alvo deve ser ter algo grande, e que o que interessa é ser grande. A igreja não precisa de ser grande. Se for para ser grande que seja, mas que seja como um efeito secundário.

Qual deve ser então o nosso alvo? Aquele que Jesus nos deu: Fazer discípulos. Basta nos concentrarmos nesse alvo, porque se esse alvo for cumprido como deve de ser, tudo o resto surgirá naturalmente. E para que esse alvo seja correctamente cumprido, é essencial começar com o pequeno, e deixar que as pessoas cresçam no tempo certo. Deixar que as pessoas atinjam a maturidade de uma forma natural. Ter paciência. Investir nos relacionamentos com os outros. Até que um dia, o discípulo se torna num discipulador. E aos poucos surgirá uma comunidade forte, madura, motivada, missionária, reprodutora. E isso é o trabalho de toda uma vida.

2 comentários:

Nova Evangelização disse...

Caro Nuno Barreto e Família
Caros Irmãos em geral

Desejo sincera e solicitamente a todos vós, e em particular ao amigo Nuno B., um santo e feliz Natal, na companhia da vossa família e amigos.

Igualmente lembrar-vos-ei nas minhas pobres orações, segundo a Vontade de Deus, que tudo o mais é secundário.

Nataliciamente,
J. Mariano

Ego ipse disse...

(Zacarias 4:10) - Porque, quem despreza o dia das coisas pequenas? Pois esses sete se alegrarão, vendo o prumo na mão de Zorobabel; esses são os sete olhos do SENHOR, que percorrem por toda a terra.