16 setembro 2005

Ocidentalização da igreja

O cristianismo começou no oriente, e não no ocidente. No entanto, devido a questões históricas das expanção do cristianismo, hoje em dia o cristianismo é considerado ocidental. E a maioria dos cristãos tem uma mentalidade ocidental.

Na realidade, o cristianismo não é nem ocidental nem oriental. O cristianismo é acultural. O que não é acultural é o evangelismo feito nos dias de hoje. Hoje, quando evangelizamos, temos a soberba de também culturalizar, comprometendo a universalidade da mensagem de Cristo.

5 comentários:

Paula do Ó Barreto disse...

Ultimamente, tenho pensado no seguinte:
Que Cristo veio redimir culturas, sociedades, comunidades. E não criar uma nova cultura, sociedade ou comunidade. Deste modo, Cristo ao redimir potencialia as qualidades dessa cultura, nunca descaracterizando aquilo que ela representa. Ou seja, o cristianismo deveria encaixar-se em todas as culturas, e isto só é possível respeitando a cultura de cada um.
O problema parece-me ser a tentativa de fazer do cristianismo "A" cultura que todos os que seguem Cristo devem adoptar.
Eu deixo a minha cultura para adoptar uma nova - O cristianimo.
E esta descaracterização faz-me imensa comichão.

Nuno Barreto disse...

pois, é exactamente esse o problema

Anónimo disse...

qldnktpBom, o próprio conceito de Ocidente tem muito a ver com o Cristianismo. Há valores intrísecos, que se calhar nós nem reparamos, como a liberdade individual, a ideia de progresso, etc. Claro que o Cristianismo é muito mais do que isso. E que também é verdade que muitos missionários levam consigo hábitos culturais. Mas, mesmo com esses erros, o importante é que o Evangelho seja pregado.

Nuno Barreto disse...

não concordo

Paula disse...

Sim, é verdade... o Cristianismo é acultural e o maior desafio, na minha opinião, é vivê-lo e proclamá-lo sem restrições que são meramente culturais.