20 maio 2005

New York


Times Square
Originally uploaded by Nuno Barreto.

Ontem voltei de New York, depois de ter estado lá desde segunda-feira, para uma conferência de trabalho. A conferência em si não foi grande coisa, mas paciência.

No entanto, foi fixe, deu para passear um pouco, conhecer algumas coisas da cidade. Não achei a cidade muito diferente de Lisboa, para dizer a verdade. Tudo bem, existem muitos pormenores diferentes, mas mesmo assim não é tão diferente quanto pensei...

Coisas que gostei mais de ver: a Grand Central Station e a Catedral de St. Patrick. Ver a cidade do cimo do Empire State Building tambem foi fixe, apanhei 15-20 milhas de visibilidade.

O pior: O metro é uma porcaria. Se o metro de Lisboa fosse assim, caía o governo.

Uma coisa curiosa: Senti-me em casa lá. Talvez por já estar habituado a ver tantas daquelas coisas nos filmes. Ou será outra coisa? Será que aquilo a que estou destinado passa por lá? Não sei.

6 comentários:

Paula do Ó Barreto disse...

Bem, se estiveres destinado a passar por lá, isso significa pelo menos uma coisa; é que eu também estou no mesmo caminho. Amo-te

Allan Jost disse...

Estamos felizes por ter-te de volta para nossa querida Lisboa.

paula do ó barreto disse...

Felizes por voltares para a querida Lisboa e para a querida Paula. :)

PeCus disse...

É engraçado referires duas das coisas que mais memória tenho de NY, a catederal de St. Patrick (sabias que NY existem qq coisa com 100 Igrejas registadas, só na ilha de manhatan?) e o facto de te teres sentido em casa.

Foi algo de muito estranho pq quando lá estive senti-me exactamente assim, estilo "Eu podia viver aqui!". Não me parece que seja por termos visto aquilo em tantos filmes que muitas das ruas nos são familiares, acho que pode ter a ver com o facto de ser a primeira cidade verdadeiramente cosmopolita e global que eu conheci, porque em NY encontras um pouco de tudo, é giro qd se para numa passadeira na estrada e olhas para o lado e encontras gentes de todo o lado. Acho que isso ajuda a que a sintamos um pouco nossa.

Devias lá voltar com a tua Paula! ;)

Nuno Barreto disse...

Olha que és capaz de ter razão. Talvez seja por isso mesmo que me senti em casa. Não me senti longe daquela cultura, senti que rapidamente me poderia adaptar a viver lá.

marco disse...

Nuno, talvez penses assim porque estás de fora. Penso que se vivesses lá ao fim de algum tempo, começariam a surgir as coisas com as quais não te identificas mesmo, pois essas nunca são notórias num primeiro contacto.