27 maio 2005

Você está livre do Inferno. Passe na igreja e receba a sua benção

Sempre gostei do jogo do monopólio. Não sei explicar, mas sempre gostei. E por alguma razão que não percebo bem, visto que acho ser um jogo de sorte, quase sempre ganho. Depois de tantos anos de jogar ao monopólio, e ganhar, ficou bem claro para mim que a igreja não é um jogo de monopólio.

Infelizmente nem todos chegam a essa conclusão. Estou um bocado cansado de ver pregações que seguem esta linha: "Você está a caminho do Inferno. Mas eu tenho a solução para si! Faça esta oração (normalmente chamada de oração do pecador) e receberá a vida eterna! E Deus o irá abençoar de maneiras que nem imagina!"

A vida eterna é grátis mas não é barata. Jesus morreu para que nós podéssemos ter a vida eterna, e certamente que ele deseja que nós a tenhamos. E é verdade que para a obter basta uma decisão de aceitar Cristo como Senhor das nossas vidas. Isso obviamente pressupõe que acreditamos nele e que decidimos passar a viver a nossa vida de acordo com os seus mandamentos. Mas ao tomarmos essa decisão, temos de estar cientes de que nem tudo são rosas. Seguir Jesus implica um preço. Seremos gozados, maltratados, incompreendidos, e nem sempre conseguiremos fazer a sua vontade. Por outro lado sentimos a presença e a paz de Deus connosco quando mais precisamos.

A vida eterna não é uma oração que se faz para nos livrarmos do Inferno, é antes uma decisão que se toma de nos tornarmos seguidores de Jesus, e isso implica estar disposto a pagar o preço, seja ele qual for. A vida eterna vive-se dia a dia.

1 comentário:

F. Almeida disse...

Pois é.... infelizmente a salvação tem sido por demais reduzida a uma questão antropológica e utilitária.
Ou seja, em vez de ser vista com algo que parte de Deus para o homem, restaurando-o a um relacionamento, que por definição precisa de ser trabalhado (o discipulado de que tão bem falas).
Passa a ser vista como: O que é que eu tenho a ganhar com isso? Quem me dá o bilhete premiado com certezas absolutas para a vida eterna? Como posso evitar a dor, e abraçar a felicidade eterna?
E, claro, alguns aspectos da praxis evangélica, reflecte a tendência teológica predominante no meio. A qual naturalmente se predispõe a este tipo de interpretações quanto ao tipo de evangelismo de que tens falado.