27 junho 2005

Liberdade McDonalds

Seguindo a máxima de "se pensas por ti pensas mal, quem pensa por ti é o comité central", muitas denominações cristãs disciplinam os seus membros por pensarem de forma diferente. Não porque seja contra aquilo que está escrito nas Escrituras, mas porque não está de acordo com a interpretação feita pela denominação. Bom, e se não pensas como a tua denominação, ou mudas, ou mudas-te, porque ai de nós se temos pessoas que pensam de forma diferente.

Chama-se a isto liberdade McDonalds. Tu vais ao McDonalds, e tens a liberdade de escolher um Big Mac, ou um Pita Mac, ou até podes escolher um Big Mac sem pickles. Mas experimenta ir lá pedir feijoada. Tudo bem, estamos a falar de restaurantes, na realidade temos liberdade de ir a qualquer restaurante ou fazer a comida que quisermos.

Na vivência cristã, também deveria ser assim. Tudo bem, existe um limite de liberdade. Da mesma forma que só podemos/devemos comer comida, também só podemos/devemos praticar o que está de acordo com as Escrituras. O problema é quando nos querem dar apenas as comidas preparadas por uns determinados cozinheiros, e impedir-nos de comer outras comidas. Aí, passamos a ter uma semi-liberdade, em que começamos a ser olhados de lado se pensamos de forma diferente. E esta semi-liberdade é uma forma de controlo, exercido por uma organização pelos seus membros, que impede qualquer possibilidade de mudança, de evolução, e que torna tudo burocrático, estagnado, previsível.

Bom, eu acho que comer feijoada de vez em quando também é bom.

4 comentários:

JOINCANTO disse...

Cuidado é com os efeitos subjacentes da feijoada... eheheh

Paula disse...

E porque não um arroz de marisco?
Tanto leite faz com que os ossos fiquem fracos... hehehe

Nuno Barreto disse...

Bom, os efeitos da feijoada às vezes são bufas teológicas. Mas não tenho medo delas, falhar faz parte da caminhada.

jalberto disse...

Nice blog, see you at internet.
Espero probar la feijoada, que me han hablado muy bien de ella.