28 junho 2005

Louvor e Adoração unplugged

Analisando por alto algumas músicas que são usadas para "louvor e adoração" na igreja, mais ou menos um terço delas estão teologicamente erradas, outro terço não são nem louvor nem adoração, e do terço que sobra, a maioria são individualistas. Como se isso não bastasse, a música substituiu na maior parte dos casos os outros tipos de louvor e adoração.

Acho que perdemos a simplicidade de louvarmos e adorarmos o nosso Deus. Parece que estamos incapacitados a fazê-lo sem música. Quando oramos, pedimos muito, agradecemos pouco, e louvamos e adoramos quase nada. A oração em grupo, na maioria dos casos, é uma lista de assuntos pelos quais se ora, um de cada vez, e depois vamos para casa. Orar tornou-se uma forma de petição apenas, como se um diálogo com alguém fosse completo só com pedidos. Deus deixa de ser alguém com quem temos um relacionamento, e passa a ser alguém a quem pedimos coisas.

O louvor e a adoração a Deus pode ser feito com música, mas também com palavras e acções. Em particular ou em público.

6 comentários:

Vilma disse...

Eu creio na adoração como um acto contínuo do nosso dia a dia: em tudo o que fazemos, pensamos. Posso adorar a Deus em silêncio, outras vezes, a rir e até a chorar; com música mais viva ou mais calma. Acima de tudo, quando eu coloco no meu coração que todas as coisas são dele, para ele e por ele, eu estou em permanente adoração. Não somente quando me reúno, mas sempre. Tão pouco acho que há somente ume estilo de musica que é para adorar. O alvo é Deus, ele é o alvo da nossa adoração.

Nuno Barreto disse...

Sim, acho que disseste o que eu queria dizer de uma forma bastante melhor :)

Paula disse...

Eu concordo que a Adoração não depende da música, nem nada que se pareça. É o mal de muita gente pensar isso. A Adoração e o louvor têm de nascer sinceramente do coração, logo podem e devem ser feitos em qualquer momento, através da oração, cânticos, silêncio, acções, etc.
Aí, estamos prontos para adorar e louvar (que são 2 coisas diferentes) em conjunto, junto com os nossos irmãos.
Há porém uma coisa que eu acho boa, mas é a minha opinião: eu dou mto valor às músicas que são cantadas individualmente. Eu dou muito valor à comunidade, mas corremos o risco de quando cantamos músicas comunitárias, cantarmos mentiras. Eu sei que isso tb pode acontecer quando cantamos músicas mais individualistas...

Nuno Barreto disse...

Sim, é verdade que isso pode acontecer. Não tinha pensado nisso.

Mas por outro lado, se ao cantarmos isso somos hipócritas, alguma outra coisa está mal :)

Paula disse...

Sim, NUno, tens razão.
Se se cantam coisas assim, alguma coisa está mal e n é no tipo de adoração... é sim na pessoa e na sua relação ou n c o Senhor

Trinity disse...

Para mim adoração é obediência. Quando obedeço ao Pai, eu estou a adorá-lo. Quando reflicto a imagem de Cristo no meu dia-a-dia, eu estou a adorar. Quando me prosto diante dele, estou a adorar.
Quando louvo, eu estou a falar bem dele. Dos seus feitos, das suas características, daquilo que Ele é. E quantas vezes já dei por mim a pensar que é impossível adorar sem louvar, de louvar sem adorar. E isso é fantástico.