18 agosto 2005

Evangelismo ao natural

Eu gosto de ornitologia. Gosto de observar aves, gosto de falar de aves, gosto de pensar em aves, quero ter o melhor telescópio e binóculos para ver melhor, os melhores livros, isso tudo. Mas eu não forço isso na vida das pessoas com quem tomo contacto. Imaginem que sempre que eu conhecia alguém, começava a dizer-lhe: Tens de começar a observar aves! É espectacular! É a melhor coisa que te pode acontecer! Olha, tens aqui um livro com a lista das aves, começa a ler este livro. E tens de te associar à SPEA!

É ridículo não é? Mas por outro lado não é o que fazemos muitas vezes acerca de Jesus? Em vez disso devemos deixar que a nossa vida fale a mensagem de Cristo. E naturalmente surgirão oportunidades de falar de Jesus, porque a pessoa mais tarde ou mais cedo vai ter curiosidade de saber mais. E algumas dessas pessoas vão chegar a um ponto em que também querem Jesus nas suas vidas.

10 comentários:

Vilma disse...

Sem dúvida, Nuno. Como já diz a Biblia, nós somos a carta escrita de Deus.
Confesso que no inicio da minha vida com Jesus, eu cometia esse erro. Era tal o meu entusiasmo e alegria que queria falar a todos sobre isso e quase que forçava.
Amadureci e hoje mais do que falar, procuro viver esse amor e paz que Deus me deu de tal forma que os outros se possam sentir atraídos por essa luz que brilha em mim. E quando perguntam a razão, eu então falo.
Mas também acredito que o Espirito de Deus trabalha, mesmo com os nossos erros e excessos, porque afinal, é Ele que convence , certo?

Nuno Barreto disse...

Certíssimo :)

Paula disse...

Sim, concordo.
Como dizia Paulo, eu penso que devemos procurar ser assim:
"E para Deus sobe, das nossas vidas, o saudável perfume da presença de Cristo em nós, e que é notado por todos, tanto pelos salvos como pelos inconvertidos." II Co 2:15

Anónimo disse...

Concordo, ainda que apenas em parte. Falar de Cristo ou falar do nosso hobby favorito são coisas diferentes. No segundo caso falamos de um gosto pessoal que gostaríamos de ver descoberto, compreendido e acompanhado por outras pessoas. No primeiro caso existe também esse aspecto da partilha de um gosto pessoal, mas vai-se bastante mais longe. Trata-se da salvação eterna daqueles que connosco se cruzam. Parece-me, portanto, que se impõe, dada a importãncia do assunto, um pouco mais de empenho. Claro que não vale a pena falar, massacrar, a outras pessoas com discursos evangelizadores se não existe nenhuma diferença em termos de comportamento. Mas também não podemos ficar pela passividade de esperar que o assunto venha à tona. Acho que aqui entra a sabedoria que Deus promete aos seus filhos.
(Reconheço: esta é a teoria em que acredito e que bem poucas vezes ponho em prática)

Pedro

HuperNikon disse...

Concordo 100%, mas não podemos esquecer o "...ide por todo o mundo e pregai o meu evangelho..."

jaime fernandes disse...

A nossa responsabilidade como discípulos é anunciar o evangelho em todo o tempo. Entendo que para isso temos que persuadir as pessoas a aceitarem Cristo (“por pouco me persuades a me fazer cristão”, disse o rei Agripa a Paulo - Actos 26:28). Agora, isso não significa forçar. Paulo tentou persuadir o rei porque este o quis ouvir.

Creio que quando vivemos sob a orientação do Espírito Santo, no momento oportuno e com as palavras certas, Ele vai dirigir os discípulos para persuadir os não salvos a aceitarem a única salvação possível – Jesus Cristo.

Quando nós queremos fazer o nosso trabalho e o do Espírito Santo, aí sim, vamos tentar convencer, forçar, obrigar...

Ser indiferente (se surgir uma oportunidade logo vejo se falo), ou ser “lapa”, não são a atitude correcta.

Eunice Rosado disse...

Eu concordo plenamente!! Acho que expressaste esta ideia muito bem.
Beijinho

Nuno Barreto disse...

É verdade que Cristo é imensamente mais do que um hobby. Estava a usar isso apenas como exemplo de como exprimimos as coisas que são importantes para nós.

E sim, o ide é para praticar. Mas o que é o ide? Como é que Jesus foi? Tentando convencer as pessoas, ou indo ao encontro das necessidades das pessoas? Precisamos perceber muito bem o que é o ide, principalmente olhando para o exemplo de Cristo.

JOINCANTO disse...

Observando os peixes da terra(ainda pouco bronzeado...)

ehehehe

Nuno Barreto disse...

Das duas uma. Ou há muito tempo que não colocava um post polémico, ou o pessoal está a voltar de férias :)