02 agosto 2005

O líder omnipotente

"O pastor é um enviado de Deus, e como tal, o que ele diz é a vontade de Deus!" Há pouco tempo a minha Paula teve a oportunidade de ouvir estas palavras de um pastor, não interessa quem. O facto de um pastor ser capaz de dizer tamanha anormalidade, mostra a forma como o líder é visto nas igrejas de hoje.

Se formos comparar esta frase com o que o Novo Testamento diz, facilmente vemos as contradições. Paulo elogiou aqueles que analisavam bem o que era ensinado antes de aceitar, em vez de os criticar por "desconfiarem" dos líderes. Jesus diz que os líderes existem para servir. Um pastor, um padre, um líder que profere tais palavras, mostra desconhecer o exemplo de Cristo.

O debate é necessário para o amadurecimento de qualquer pessoa. E se o líder é visto como alguém superior aos outros, não haverá condições para que haja esse debate. Sem esse debate, o crente torna-se num ser amorfo, sem opinião própria, incapaz de perceber a sua fé.

5 comentários:

Flavia disse...

Há sempre uma verdade: A Palavra de Deus. Quem a lê e a pratica, terá discernimento para ouvir tais coisas. Abçs, Flávia

Nuno Barreto disse...

É isso mesmo. A Palavra de Deus deve ser sempre a regra de comparação com aquilo que está a ser dito. E não são só algumas pessoas especiais que a conseguem ler e interpretar, mas todos nós.

takasilva disse...

hello, nuno,

mais uma "Bufa teológica" ...
penso que neste momento quem referiu as ditas palavras não se apercebeu que cada um que leva uma Mensagem da parte de Deus para outro, e como é óbvio qualquer mensagem de ânimo ou de exortação que estaja de acordo com a Bíblia e orientada pelo Espírito Santo, é um enviado de Deus.

Esperemos que o nosso irmão que assim procedeu tenha tinho já alguma revelação mais ou então que nós quando estivermos perante ele possamos ser 2enviados de Deus" para lhe trazer algum ânimo e/ou exortação que seja da parte do Pai.

JOINCANTO disse...

Os pastores (gosto mais do plural) também podem transmitir a vontade de Deus.

Nuno Barreto disse...

Eu diria até que na maioria dos casos o fazem, e ainda bem, senão não sei o que era de nós. Mas por outro lado temos de aprender que os líderes (também gosto mais do plural) são pessoas como nós, que falham. E como tal, é necessário o debate.