25 agosto 2005

Pat Robertson e Hugo Chavez

O Allan acabou de me dar um link que me chocou.

Não sei se conhecem o Pat Robertson. É o apresentador principal do programa 700 club da CBN. Eu já vi esse programa algumas vezes, e embora tivesse algumas coisas interessantes, era claramente tendencioso. Foi sempre pró-Bush e pró-guerra no iraque e coisas que tais. Mas desta vez ele fez pior. Disse que o presidente da Venezuela deveria ser assassinado. Ao vivo. É melhor verem o vídeo.

Eu acho absolutamente vergonhoso que alguém que se intitula cristão tenha opiniões deste género. O cristianismo é uma religião de amor, de paz. Não tem o mínimo de cabimento este tipo de declarações por parte de um cristão. Imaginem Jesus a dizer: "Aquele gajo, o Herodes, é um trafulha, e está a permitir que a religião judaica seja contaminada pelos romanos, deviam assassinar o gajo!"

É triste que tenha chegado a este ponto.

Update: Afinal Pat Robertson fez uma declaração a dizer que não era bem isso que queria dizer, que era só para raptar o presidente da Venezuela...

5 comentários:

Anónimo disse...

Eu sou cristão, apoio George Bush (dizer "o" Bush parece-me falta de respeito) mas não quero que o presidente da Venezuela seja assassinado. Estou a dizer isto apenas para desmontar um raciocínio implícito no post: primeiro apoiasse Bush, depois apoiasse a guerra no Iraque e a sequência lógica acaba no incitamento ao assassinato de um presidente eleito. Não é fatalmente assim.

Pedro

Nuno Barreto disse...

Se dei a entender que o apoio ao Bush é o mesmo que apoiar o assassinato do presidente da Venezuela, então quero clarificar que não é assim, nem é por ele apoiar o Bush que tem essa opinião.

O tema central do meu post não é o Bush nem o que os apoiantes do Bush defendem, mas sim o facto de que um cristão deve ser sempre a favor da paz e não da guerra.

jaime fernandes disse...

Concordo plenamente com o que diz o Nuno. Como cristãos não podemos, de forma alguma, promover ou incentivar a violência, a guerra e a morte. Lembro aqui qual foi a atitude dos discípulos em Jerusalém quando um movimento de perseguição terrorista se levantou contra eles, culminando com a morte de Estêvão. Não responderam com violência mas com palavras de vida... anunciando a paz de Jesus por onde passavam.

Paula disse...

Um cristão NÃO pode apoiar a guerra... quer dizer, poder... pode... não deveria...

Eliot D. Chambers disse...

Pat Robertson foi profundamente infeliz na sua declaração.

Também creio que devemos ser a favor não só da paz, mas de todos os valores cristãos, o que nos leva a uma atitude combativa perante figuras da estirpe de Hugo Chávez.

Quem defende ideologias que tentam implantar um paraíso na Terra sempre acabam compactuando, em algum momento, com premissas absolutamente anticristãs.

Vale lembrar que essas ideologias sempre se voltam contra cristãos e judeus. Vale lembrar da matança que elas geraram no século XX.