09 agosto 2005

Pensamentos soltos

Há coisas que acontecem que me levam a pensar mais sobre determinados assuntos. Nestes últimos dias tenho pensado em várias coisas diferentes, sobre as quais quero pensar mais ainda. Tenho pensado sobre unidade, sobre paz, e sobre liderança. Sobre unidade já falei um pouco, sobre os outros dois temas ainda não cheguei a uma conclusão.

Sobre a liderança, algumas das perguntas que queria responder é: Qual o papel do líder? Como se respeita um líder? Como se critica um líder sem o desrespeitar? Será que a visão é dada somente ao líder ou a todos? Até que ponto o líder deve envolver os outros nas decisões?

Sobre a paz, não estou confuso. É mais o que tenho sentido. Porque paz e amor são praticamente sinónimos. Como é possível amar se estamos a lutar contra os nossos inimigos? Não é possível. Ou amamos, ou fazemos guerra. A pergunta que se põe é, no meio de um mundo que usa de guerra para resolver as suas diferenças, como podemos nós influenciar a favor da paz? Que coisas práticas podemos fazer para ajudar a mudar isso?

1 comentário:

Allan Jost disse...

Eu gostava de colocar mais um pensamento sobre a tema de Liderança, que é associado ao meu artigo recente. Acho que a crítica construtiva é sempre bem-vinda, ainda mais bem-vinda daqueles que estão “dentro da arena”, pois a sua contribuição carrega a força de alguém que também está a ousar grande coisas pelo Senhor. Neste respeito vejo que a liderança não pode ser tão insegura que não dê ouvidos daqueles que estão a labutar juntos para edificar o Reino de Deus. Mas uma critica que sai de alguém que nunca ousou a desbravar a mata de evangelizar o seu vizinho ou nunca tentou algo novo para poder relacionar melhor o evangelho com o seu mundo, esta critica cai em terra menos fértil.

Lembro que a missão de Jesus Cristo foi dado para o seu Corpo, claro dentro do Corpo tem certos órgãos que vê, pensam, cuidam do bem-estar, mas a coisa é uma só. Uma ideia em nossos corpos, para ser concretizada em acção, passa por todo corpo para criar uma mudança saudável. (veja o problema daqueles que sofrem da lepra, quando o mão não sente mais a dor de apertar algo com demasiada força, cria-se um mal estar e muitas vezes feridas que precisam amputação.) O nosso corpo físico foi criado com dialogo entre os membros, e acho por isso uma imagem adequada (será que o Paulo sabia o que ele estava a falar?) para a Igreja de Cristo e para nosso paradigma de liderança também.