05 julho 2005

Colossenses e a liberdade da lei

"Se morrestes com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos sujeitais ainda a ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies (as quais coisas todas hão de perecer pelo uso), segundo os preceitos e doutrinas dos homens? As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria em culto voluntário, humildade fingida, e severidade para com o corpo, mas não têm valor algum no combate contra a satisfação da carne." (Colossenses 2:20-23)

Li Colossenses pensando no tema do misticismo cristão, e também pensando no tema da liberdade da lei/ordenanças. Foi uma experiência libertadora. Sinto que nos livrámos da lei do antigo testamento, mas substituímos tudo isso por regras nossas, que nada têm a haver com Cristo. Ajudamos as pessoas a libertarem-se da tirania do pecado, para as subjugar-mos à tirania das leis. Isso não é a liberdade que Deus tem para nós. Nós somos livres em Cristo, e as únicas "regras" que existem é amar a Deus acima de todas as coisas, e amar ao próximo como a nós mesmos. Tudo o resto, são regras dos homens, regras criadas por homens para um momento específico que deixaram de ter significado.

5 comentários:

Paula disse...

Isso faz-me lembrar palavras de um autor que disse que quando estamos a falar de cristo a uma pessoa, ela pode fazer tudo, fumar, até estar a mandar-nos o fumo enquanto evangelizamos, que nós n nos importamos, mas a partir do momento em que ela se converte, a conversa muda. Não deixamos que seja o Espírito Santo a trabalhar na vida da pessoa. Começamos logo a impôr regras, leis, comportamentos que não se pode ter, etc.

Vilma disse...

Penso que é exactamente por isso que muito cristão não vive a genuína liberdade em Cristo!

jaime fernandes disse...

Proclamar Liberdade Aos Cativos (Isaías 61:1)
O homem encontra-se verdadeiramente escravizado a estilos de vida, cujos padrões em vez de contribuírem para uma maior dignidade da raça humana, contribuem para a sua degradação.
A verdade é que para proclamarmos esta liberdade, temos que a experimentar primeiro.

entre-aspas disse...

Muitas vezes encaramos a vivência cristã como uma lista de "nãos", quando pelo contrário deveriamos evidenciar os "sins".

Bia disse...

Fugindo ao topico, se vieres ao Japao, nao deixes de me procurar.

Abracos